Miguel Alves – juventude, estudo e trabalho

Informando com responsabilidade
Informando com responsabilidade

Muitos jovens miguel-alvenses quando concluem o ensino médio encerram também a carreira estudantil, por dois motivos: primeiro, porque Miguel Alves não tem um pólo de ensino superior; segundo, porque a maioria dos pais não dispõem de condições financeiras para manter os estudos dos seus filhos em Teresina ou em outra cidades  como União e Barras.

Por conta disso e também pela falta de oportunidade de trabalho em nossa cidade, muitos jovens vão embora, aventurar a vida lá fora. Todo ano, de janeiro a março, dezenas de jovens pegam a estrada. Não é por acaso que hoje temos em cidades paulistas, como Louveira e outras, verdadeiras vilas formadas por jovens miguel-alvenses. Uns casados, outros solteiros. Uns conseguem se firmar por lá e só vêm a Miguel Alves a passeio, geralmente no final do ano. Outros passam uma temporada fora, depois retornam e por aqui tentam se firmar.

Portanto, Miguel Alves é uma cidade que não trata bem a sua juventude, uma vez que nega  ao jovem a oportunidade de ingressar num curso superior sem precisar de sair para outros centros. Este é um sério problema, dentre tantos outros que Miguel Alves enfrenta.

No início deste ano conversei com o professor Paulo Pinheiro, pró-reitor da UESPI, um amigo e contemporâneo do Colégio Agrícola de Teresina-CAT. Expus à ele a realidade da educação de Miguel Alves e perguntei o que seria preciso  para ser instalado um pólo da UESPI em nosso município? Ele foi bastante objetivo na sua resposta. Disse-me, “meu amigo, representação política  para lutar por isso”. Em seguida disse que pela população que Miguel Alves tem hoje e pela sua localização, já era pra ter um pólo da universidade.

Todavia, pela fraca representação política que temos o ensino superior em Miguel Alves não passa de uma utopia minha e de outros que defendem a mesma causa. A representação política é constituída graça ao voto popular: Prefeito (a) vereadores(as) e deputados votados no município. Agora o que falta mesmo é compromisso. Vamos ver se nas eleições deste ano o povo eleja um prefeito e 13 vereadores que tenham de fato compromisso com Miguel Alves, sobretudo com a educação.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s