Todos os posts de Assis Dutra

Seriedade e respeito naquilo que faz

Seja solidário. Ajude o Didi da Prainha construir sua casa.

O Blog do Assis se solidariza com a família do senhor Didi Vaz, o Didi da Prainha,  que teve a sua casa e o seu bar destruídos totalmente por um incêndio  ocorrido na noite do dia 26 de fevereiro, deixando a sua família completamente sem teto e sem o seu principal meio de sobrevivência.

Na foto abaixo dá se pra perceber que a casa, o bar e os pertences da família viraram cinzas em questão de minutos.

10998657_428971827255607_1913428313953342534_n

Depois da tragédia, a hora é de recomeçar. E a missão do Didi da Prainha é espinhosa, pois ele precisa encontrar força e apoio para recomeçar a vida e sustentar 11 filhos (entre biológicos e adotivos). Uma dura missão que necessita do apoio de todos os seus familiares, dos seus amigos e conhecidos, bem como de todos os cidadãos de bom coração que queiram ajudá-lo.

Por isso, o Blog do Assis pede a  quem puder e quiser ajudar a família do Didi da Prainha a construir sua casa, doando material de construção, favor entrar em contato com a sra. Conceição Vaz através dos telefones: (324401471, 99989212, 98386691, DDD 086. Familiares também disponibilizaram uma conta corrente no Banco do Brasil, agência 3506-8,    Conta nº 33.104-X, em nome de  Walaf N. Fontenele. Qualquer doação, alimentos ou material de construção será bem recebida pela família.

“Lembre-se, se um dia você precisar de ajuda, você encontrará uma mão no final do seu braço. À medida em que você envelhecer, você descobrirá que tem duas mãos – uma para ajudar a si mesmo e outra para ajudar aos outros”.

Seja solidário. Ajude o Didi da prainha a construir sua. Deus lhe recompensará pelo seu gesto.

Prefeitura espera autorização da Câmara para fazer empréstimo de 1,8 milhão.

A falta de infra-estrutura nos bairros de Miguel Alves é um problema antigo. As reclamações do seus moradores são recorrentes e as cobranças também. A falta de calçamento é o principal problema, pois muitas ruas dos bairros de bairros populosos como o São Miguel, por exemplo, as famílias enfrentam o drama da lama no inverno e da poeira, no verão.

As prefeitos que se sucederam nessas duas décadas não resolveram o problema alegando principalmente a falta de recursos. Recorrer a empréstimos junto à Caixa Econômica Federal é o caminho mais certo para se conseguir o dinheiro que se precisa para resolver, se todo, mas parte de um problema que atormenta a vida de muita gente, principalmente dos mais necessitados que residem nos bairros da cidade.

A atual gestão municipal está buscando estes recursos. Para tanto, precisa primeiro da autorização da Câmara Municipal de Miguel Alves para poder contrair empréstimo de 1,8 milhão de reais que será  aplicado especificamente na pavimentação de ruas dos bairros da cidade. O pedido de autorização foi encaminhado à Câmara pela prefeita Salete Rego na primeira sessão ordinária deste ano.

O vereador Cleó, o líder da prefeita na Câmara, falou sobre o assunto destacando o seguinte: “a matéria não foi votada na sessão passada porque o vereador Ely Sandro Vaz pediu vista, mas deverá ser votado e aprovado na próxima sessão, pois se trata de uma matéria de grande importância para a população, principalmente para os moradores dos bairros de Miguel Alves que estão sofrendo por falta de calçamento nas suas ruas”.

Perturbação da ordem ou ausência de autoridade?

Em toda cidade a norma é se respeitar o sossego público, principalmente no período noturno, momento em que as pessoas estão em casa descansando. Quando esta norma é desrespeitada, cabe às autoridades competentes agirem com rigor para que a ordem pública seja preservada e as pessoas possam desfrutar do direito  de se reunirem nas portas de suas casas para o bate-papo noturno sem perturbações. Em algumas cidades ainda é possível se ver isso.

Entretanto, Miguel Alves vive hoje sufocada pela perturbação pública, contrastando com o seu histórico que nos revela um passado marcado pela calmaria, onde a noite as famílias se reuniam nas calçadas das casas ou  na praça para assistir televisão, sem serem infortunadas por barulhos e badernas. Quem viveu essa época lembra como a ordem pública era mantida com rigor pelo juíz de direito que morava na cidade e que não permitia badernas noturnas. Um oficial de justiça, o senhor Raimundo Lourenço, era o fiscal. Se ele encontrasse algum menor de idade nas ruas depois das dez horas da noite, frequentando bares, farreando  e fazendo outras danações em vias públicas,  no dia seguinte  era intimado a comparecer ao cartório em companhia do pai ou responsável,  e lá o juiz  o deixava de castigo o dia todo. A decisão do meritíssimo era prontamente acatada pelos pais.

Claro que a realidade é outra completamente diferente, a qual leva os mais jovens a constantes desafios e riscos que podem ser trágicos tanto para si quanto para outrem. E isso está virando regra  na sociedade moderna. Os jovens de hoje precisam saber  usufruir e conviver sadiamente com a modernidade e não se prostituir com ela. No entanto,  a lógica é inversa, infelizmente.

Miguel Alves em si é vítima diariamente do excesso de liberdade e da ausência de autoridade. E quem sofre na pele com este desatino social são os cidadãos, pois não sabem ou não têm  a quem recorrer, senão às redes sociais, como fez uma professora que mora em uma das ruas mais movimentadas da cidade. De tanto se ver atormentada na sua própria casa pelo barulho ensurdecedor das motos voadoras, a professora postou no seu facebook um desabafo que foi alvo de comentários solidários e de muitas curtidas:

Diante disso, convém cobrar das autoridades competentes o cumprimento do seu mister, restabelecendo urgentemente a ordem pública em Miguel Alves,  pois as famílias miguel-alvenses precisam de sossego e de segurança

Câmara aprova reajuste para professores de Miguel Alves

Nesta sexta-feira, 27/02, teve reunião na câmara municipal de Miguel Alves. A sessão começou às 9:00h, e na pauta do dia o projeto de reajuste do piso salarial para os professores da rede municipal de ensino, que foi encaminhado à câmara na semana passada pela prefeita Salete Rego. Depois de passar pelas comissões, o projeto foi colocado em votação e aprovado por unanimidade pelos vereadores que compareceram à sessão. Dose vereadores estiveram presentes na sessão desta terça-feira. O único ausente foi o vereador Carlúcio do PT.

O líder da prefeita na Câmara municipal, vereador Cleó, fez questão de ressaltar que “a prefeitura  de Miguel Alves é a primeira do estado do Piauí a conceder o reajuste para os professores, largando na frente até mesmo do governo do estado e da prefeitura de Teresina que ainda não concederam o reajuste do piso salarial do magistério”.

O vereador Cleó informou ainda que o reajuste será retroativo ao mês de janeiro e será pago da seguinte forma: o mês de janeiro será pago junto com o pagamento de março e o mês de fevereiro com o pagamento de abril.

Uma ótima notícia para os professores, pois a aprovação do projeto é uma garantia do reajuste do piso salarial, no entanto, a categoria teme que haja atraso no pagamento dos seus salários, por isso ficará atenta.

Incêndio na Prainha em Miguel Alves

No noite desta quinta-feira, 26, por volta das 18 para às 19 horas, aconteceu um incêndio na Prainha, um espaço de entretenimento e lazer localizado às margens do rio Parnaíba, na cidade de Miguel Alves. A Prainha era muito frequentada pelos miguel-alvenses e visitantes nos finais de semana.

Segundo informações que nos foram enviadas, o incêndio pode ter sido provocado por um botijão de gás que deve ter explodido, destruindo todas as barracas, causando, por conseguinte, sérios prejuízos para os proprietários. Umas das barracas totalmente destruída pelo fogo foi a do Didi Vaz.  Cadeiras, mesas, fogão, roupas e documentos foram todos destruídos.

Vejas  fotos enviada por amigos pelo whatsapp, no exato momento em que o fogo destruia as barracas:

GetAttachment GetAttachment (1)