Todos os posts de Assis Dutra

Seriedade e respeito naquilo que faz

Esclarecimentos sobre a invasão de terreno ao lado do campo da Forquilha

Após tomar conhecimento da matéria sobre a invasão do campo do bairro Forquilha em Miguel Alves, publicada por este blog nesta quarta-feira, 07/12/16, na qual foi citado o nome da senhora Toinha Meneses foi citada como uma das incentivadoras da invasão, conforme denuncia recebida, abrimos aqui o espaço para que a referida senhora faça os esclarecimentos devidos:

Toinha Meneses afirma:

Que não foi  ela a incentivadora dessa ocupação. Quem começou foram outras pessoas que residem no próprio bairro Forquilha, faz uns três meses. Os moradores vizinhos são testemunhas;

Que a área invadida ou ocupada  por cerca de seis famílias fica ao lado do campo numa distância que varia de 15 a 17 metros, portanto, não haverá problema nenhum;

Que no começo ela foi uma das que se posicionou contra a ocupação do terreno, porém, depois que os outros invadiram, a sua irmã, uma senhora casada, mãe de 9 filhos, que não tem casa própria, também ocupou o terreno e com a ajuda da família e dos amigos construiu a casa que fica a uns 17 metros do campo;

Que o terreno em questão é da prefeitura e estava tomado pelo mato e se transformando em um verdadeiro lixão nas proximidades das casas e do próprio campo;

Para finalizar o seu esclarecimento, Toinha Meneses afirma ainda que tem casa própria que fica próxima ao campo de futebol do bairro Forquilha, portanto não tem necessidade de invadir terreno nenhum;

Que nunca teve problemas com os jogadores e espera que tudo se resolva da melhor forma possível. Veja algumas fotos da área mandada pela Toinha Meneses:

img-20161207-wa0009

whatsapp-image-2016-12-08-at-14-37-08

whatsapp-image-2016-12-08-at-14-37-01

whatsapp-image-2016-12-08-at-14-37-21
Esta é a casa da senhora Raimunda Meneses que fica atras de uma das traves do campo.

Bom, o Blog ouviu os dois lados. A conclusão que se tira é que o terreno próximo ao campo de futebol da Forquilha está sendo ocupado por moradores do próprio bairro. Isto é fato registrado em fotos que nos foram enviadas pelas partes em questão. É uma invasão? Claro, porque o imóvel é do município e para ser ocupado legalmente precisa que a prefeitura conceda uma carta de aforamento ou título de posse do terreno, dando prioridade absoluta às famílias que realmente precisam de uma casa para morar, afastando, por conseguinte, alguns oportunistas de ocasião.

Que este imbróglio se resolva da melhor forma possível, e que a sua excelência, a bola, companheira inseparável de crianças e dos jovens não fique no olho da rua, sem o seu espaço preferido.

Invasão do campo de futebol preocupa moradores do bairro Forquilha

Os desportistas do bairro Forquilha acusam alguns moradores do próprio bairro de estarem se apossando de terreno que faz parte da área do campo de futebol. Segundo denuncia feita ao Blog do Assis por um desportista do bairro, que pediu para não serem identificados, a senhora Antonia Meneses e família é quem está à frente dessa invasão. Os invasores já estão inclusive construindo casas, mesmo sem ter documento de posse do terreno.

Entre os moradores e desportistas da Forquilha há um descontentamento muito grande porque os invasores têm casa e querem apenas se apossar de uma área de utilidade pública. Eles temem que invasão  acabe com o campo de futebol, o único espaço de lazer que a juventude  do bairro dispõe. Por isso, os desportistas do bairro querem que a prefeitura proíba essa invasão porque toda área invadida pode ser utilizada para construir melhorias para o campo, como banheiros e vestiários para os atletas,

O que os desportistas argumentam é que se a invasão continuar, daqui uns dias eles vão querer proibir jogos alegando que a bola cai em cima do telhado e dentro das casas, causando prejuízos pra eles. Pode até gerar conflito entre o moradores-invasores e os jogadores.

img-20161207-wa0012
O campo é o principal espaço de lazer dos jovens da Forquilha,

img-20161207-wa0009

img-20161207-wa0013

img-20161207-wa0008
Os invasores já estão construindo casas nas mediações do campo.

Lembro que em meados dos anos oitenta, por descuido do poder público, invadiram o campo do Racha Peito, no bairro Vacaria e ficou por isso mesmo. Anos depois invadiram também o campo do Miguelalvense, o mais tradicional da cidade e ninguém fez nada. A Lagoa dos Três Paus também foi invadida e pronto. Miguel Alves tem dessas coisas. Cada pedaço tem um dono, é por isso que a cidade não vai pra frente. Que a prefeitura não deixe os espertos  se apossarem do campo de futebol da Forquilha.

Bandidos tiram a vida de um cidadão na zona rural de Miguel Alves

img-20161206-wa0053
Daniel Farias Cardoso, um dos envolvidos, foi preso em flagrante por policiais da cidade Barras,

Na madrugada desta terça-feira, (06), no povoado São José dos Monteiros, zona do município de Miguel Alves, dois bandidos cometeram um latrocínio, roubo seguido de morte. A endo a vítima o senhor José da Costa Cardoso,  conhecido como  Zé Regino.  Segundo informações, a vítima foi assassinada com com golpes de faca e espancamento.

Após praticarem o latrocínio os dois bandidos fugiram, mas a polícia de Miguel Alves entrou em contato com os policiais de Barras que agiram rapidamente e prenderam os dois elementos. São eles: Daniel Farias Cardoso (foto) que reside na zona rural de Miguel Alves e seu primo Nildo.

Mais uma vez a comunidade São José dos Monteiros é alvo da bandidagem, dessa vez com uma vítima fatal. Isso é o resultado da falta de gestão na segurança pública do estado do Piauí. E o município de Miguel Alves, assim como os demais municípios piauienses, vivem esse drama, mas queremos aqui questionar a situação do nosso Pedacinho de Chão, onde  cidadão não tem sossego, nem na cidade nem na zona rural.

A situação da segurança de Miguel Alves é crítica. Tem dia que só tem um policial numa viatura sucateada pra cobrir um município extenso e atender uma população estimada em 33 mil habitantes. Tem como oferecer segurança ao cidadão, por mais esforçado que seja o policial? Não tem!

É preciso reconhecer o esforço da polícia de Miguel Alves, que se vira como pode pra atender as ocorrências, mesmo sem estrutura, com instalações desconfortáveis, viatura sucateada e um baixo efetivo. Desse jeito não tem como suprir a necessidade de segurança da população do município. Fica aqui mais uma vez o recado para o secretário de segurança pública do estado.

TRE-PI decide pelo deferimento da candidatura do vice-prefeito eleito de Miguel Alves

180000011126Em sessão realizada na manhã desta sexta-feira, 25, o pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, por unanimidade, manteve o registro de candidatura do vice-prefeito eleito de Miguel Alves, Elpher Soares Lima, pela coligação “Renasce a esperança”.

O recurso pedindo a impugnação da candidatura de Elpher Soares foi interposto pelas coligações, O povo quer: Novo tempo, novas ideias” e o “Povo quer mudança”,  alegando que o candidato não teria se desincompatibilizado na data correta do cargo de assessor jurídico que exercera na câmara municipal de Miguel Alves.

A defesa do denunciado fez a devida constatação. No mérito,  o pleno do TRE conheceu o recurso e negou o provimento do mesmo, mantendo assim a decisão de 1º grau, ou seja, proferida pelo juiz eleitoral de Miguel Alves.

TCU mantém reprovação das contas de ex-prefeito de Miguel Alves

downloadO Tribunal de Contas da União – TCU, manteve a decisão de reprovar as contas e imputar débito e multa ao ex-prefeito de Miguel Alves, Oliveira Junior, que fora eleito prefeito em 02 de outubro deste ano com ampla maioria de votos.

O processo de 003020/2015-0 trata de convênio entre a prefeitura de Miguel Alves e a FUNASA – Fundação Nacional de Saúde, que instaurou  Tomada de Contas Especial contra o ex-prefeito Miguel Borges de Oliveira Junior, ante  a omissão no dever de prestar contas dos recursos repassados à municipalidade por força do Convênio 0338/2007.

O processo foi julgado pela Segunda Câmara do TCU em 10/05/2016, como contas julgadas irregulares com imputação de débito e multa ao ex-gestor, sendo que em 02/11/2016 a data da consumação do transitado em julgado. O processo  teve com relator o ministro MARCOS BEMQUERER COSTA.

15204267_1641432352823122_700563378_o

Com a recente decisão do TCU, o ex-prefeito entra no Cadastro dos Responsáveis com Contas Julgadas Irregulares – CADIRREG.

O que pode acontecer agora? As indagações são tantas, porém, é um caso que suscita entendimento diverso que carece de uma boa análise jurídica antes de emitir qualquer opinião.

Entretanto, pelas informações que buscamos junto a advogados, há um entendimento de que a decisão do TCU pode gerar a inelegibilidade do ex-prefeito e, por conseguinte, a anulação da votação por ele obtida no pleito de 02/10/2016, havendo assim a possibilidade de uma nova eleição. Mas há outros que entendem que com a anulação dos votos do candidato Oliveira Junior, o segundo colocado nas eleições assumiria, sem a realização de um novo pleito.

Todavia, tudo ainda está no campo da especulação. Para tanto, é preciso primeiro que a parte interessada entre com um pedido de suspensão da diplomação do prefeito eleito que acontecerá em 15 de dezembro. Resta esperar o desenrolar do processo para se saber o que pode acontecer.