Todos os posts de Assis Dutra

Seriedade e respeito naquilo que faz

A verdade sobre a falta de segurança em Miguel Alves

Quando mostramos a insegurança pública que domina Miguel Alves, os miguel-alvenses se mostram indignados e ficam a perguntar por que o nosso município passa por esta situação lastimável. Por que será?  Na verdade a população inteira sabe os motivos do problema, mas fica esperando a boa vontade de quem na verdade não tem.

Na minha modesta opinião, a falta de atitude política no âmbito geral, no caso o governo do estado que não cuida bem da segurança pública, razão pela qual a população piauiense vive assombrada com tantos roubos, assaltos e mortes, apesar das estatísticas oficiais mostrarem uma realidade diferente, apontando que houve uma redução gradativa da violência no estado.

E no âmbito local, especificamente, podemos culpar os representantes políticos do município junto ao governo do estado. Prefeita municipal Salete Rego e vereadores, que não podem ser isentos da responsabilidade, bem como o suplente de deputado estadual o ex-prefeito Oliveira Junior,   Os dois grupos divergem no âmbito local, mas quando se trata do governo do estado estão lá à procura de espaço.

Juntando o geral e o específico chegamos à conclusão que o nosso município é  muito mal representado politicamente. O povo votou em massa no governador, deu uma votação expressiva para o atual secretário de segurança, deputado federal Fábio Abreu e outros, e para o Oliveira que foi candidato a deputado estadual e hoje é filiado ao partido do governador.  Eu pergunto: pra que serviu isso até agora? Pra Miguel Alves, nada, mas para  eles se arrumarem e arrumarem os seus, serviu muito. Só isso.

A verdade pura nua e crua é que a segurança pública de Miguel Alves praticamente não existe. E quem sofre com isso é o cidadão que vez por outra é assaltado na sua residência, no seu estabelecimento comercial e quando sai de casa, seja nas ruas e nas estradas do município.

É uma lástima! O pior é que este ano o povo vai ver essa turma do poder nas ruas pedindo voto, sorrindo, abraçando e apertando a mão de quem encontrar pela frente e fazendo as mesmas promessas de sempre. E não estão nem aí pra segurança pública.

Que cinismo exagerado! Que falta de respeito ao povo.

Duas motos foram roubadas em Miguel Alves na noite deste sábado

Sem títuloA onda de assaltos continua em Miguel Alves. Na noite deste sábado, 23, foram roubadas mais duas motos em Miguel Alves. Uma delas no bairro Beira Rio. Uma das vítimas foi o Irmão Milton que reside na rua 12, que teve a sua moto Honda CG 125 FAN KS, roxa, ano 2011/2011. A outra moto roubada pertencia ao senhor Gilson, segundo informações que recebemos direto de Miguel Alves.

Os proprietários das duas motocicletas roubadas foram até a Delegacia registrar o Boletim de ocorrência. Porém, ao chegarem lá não tinha escrivão para atendê-los. Por este motivo, vão ter de voltar à delegacia nesta segunda-feira, 25, dois dias depois do ocorrido, para fazerem o B.O. Quem gosta disso tudo são os assaltantes que sem polícia na rua, sem ter quem registre um B.O na delegacia, eles deitam e rolam e vão embora tranquilamente. Pode isso secretário Fábio Abreu? No Miguelaves pode tudo.

Isso acontece porque na Delegacia de Miguel Alves a única coisa que tem de sobra é problema. O resto, o que é preciso ter para servir ao povo, está sempre em falta.  E quem sofre é o cidadão comum. Como dizia dona Rosa Vieira lá da Santa Júlia, “Eu discunjuro!”

Nos bastidores da política de Miguel Alves

À boca miúda corre uma dúvida – a prefeita Salete Rego pode ou não pode ser candidata à reeleição, por já está cumprindo um segundo mandato, visto que ela assumiu a prefeitura por quase 90 dias, quando da cassação temporária do então prefeito Oliveira Junior, em 2010?

E quem seria o candidato – no impedimento da prefeita, quem seria o candidato do grupo? Uma pessoa que integra a parte burocrática do grupo político que está na prefeitura me falou recentemente que a dúvida persiste, pois até o momento Salete Rego ainda não se pronunciou a respeito.

E na oposição  – o que se ouve à boca miúda é que o vice-prefeito Chibança (PMDB) não é o preferido do grupo  para ser o candidato a vice-prefeito do ex-prefeito Oliveira Junior. Uma pessoa do grupo me contou que o nome forte é o do ex-prefeito Valter Sá Lima. Por perceber isso o vice-prefeito Chibança estaria mudando de rumo. Não se sabe pra onde.

Corre à boca miúda também a pergunta – o ex-prefeito Oliveira Junior pode ou não pode ser candidato? Opositores dizem que não, seguidores afirmam que sim. cabe à Justiça Eleitoral desvendar esse mistério.

Terceira via diferente – em meio a dúvidas que pairam nos dois principais grupos, aliado ao desgaste político que ambos ostentam, pelo fato de serem figuras já testadas e, por conseguinte, desaprovada nas urnas, um candidato novo, com ideias e atitudes diferentes pode ser a opção certa para os miguel-alvenses.

Surgem alguns nomes como pré-candidatos a prefeito, o do professor Assis Dutra (PPL), do professor Zé Pereira (PSDC), do João Paulo (PRB) e do Júlio da Tuta (P Sol). Além desses nomes tem ainda o vereador Carlúcio, ex-PT, ex-aliado de primeira grandeza de Oliveira Junior, que também desponta como pré-candidato a prefeito pelo PDT.

O ex-vereador Caburé e sua esposa, a vereadora Cleiciane Gomes, que se filiaram ao PSL? Caburé saiu do PSB.  Já a vereadora Cleiciane saiu do PSD, partido da prefeita Salete Rego. De partido novo, agora resta saber com quem eles vão se aliar nas eleições deste ano ou o partido vai ter candidato próprio?

Quanto custa? Tem muita gente fobando que fulana vai ganhar a eleição porque tem dinheiro aos monte, que sicrano também pode ganhar pelo mesmo motivo, já os beltranos são lisos e por isso não vão pra lugar nenhum. Será que os endinheirados vão gastar 1 milhão de reais ou mais?

Pois bem, a lei eleitoral teve algumas mudança e uma delas diz respeito aos gastos de campanha. E pela nova lei, em Miguel Alves o valor máximo a ser gasto por candidato a prefeito é de 150 mil reais e de 20 mil reais para candidato a vereador, valores que devem ser devidamente informados à Justiça Eleitoral. Quem gastar mais do que isso estará fomentando o caixa dois e isso é crime eleitoral que implicará na  cassação de mandato eletivo.

Professores de Miguel Alves vão à justiça por repasse de 60% dos precatórios do FUNDEB

Por determinação da justiça, o Governo Federal está devolvendo aos municípios recursos não repassados do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (FUNDEF), que hoje é o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, o FUNDEB. As ações foram ajuizadas em 2003 e no ano passado os precatórios foram anunciados.

De acordo com a sentença, o município de Miguel Alves tem a receber até dezembro deste ano cerca de R$ 39 milhões de reais, deste total, 60% são destinados ao pagamento de salários dos professores. Porém, questionamentos jurídicos vieram à tona.

Há um entendimento jurídico de que o valor dos precatórios não deve ser todo para a educação. Os recursos devem entrar como receita corrente líquida do município, resguardando assim 25% para educação, 15% para saúde e 7% entra no cálculo do duodécimo das Casas Legislativas para o ano subsequente à chegada do recurso. O restante é determinado pela Lei de Diretrizes Orçamentárias, de acordo com a necessidade do município e sempre respeitando a autonomia do gestor municipal.

Por este motivo, o Sindicato dos Servidores Municipais – SINDSERM, entrou com uma ação na justiça, baseado na sentença, pedindo o bloqueio de 60% dos 39 milhões de reais referentes aos precatórios, por entender que os recursos são exclusivos da educação e destinados ao pagamento de salários. 

Bandidos fazem arrastão em Miguel Alves

Na noite desta quarta-feira, 20, a população da cidade de Miguel Alves voltou a ser alvo das ações de bandidos que promoveram um arrastão pelas ruas do centro da cidade, onde mais de 10 pessoas foram vítimas. Os bandidos  levaram aparelhos celulares.  Na rua Ulisses Carmo os bandidos passaram e tomaram o aparelho celular de um jovem que estava na calçada conversando com amigos. Segundo informações de populares, a dupla que promoveu o arrastão andava numa moto e usava arma de fogo. Suspeita-se que seja da vizinha cidade de União.

Se na cidade a insegurança assusta, imagine na zona rural onde os roubos e furtos ocorrem com certa frequência. Um senhor, conhecido como Rolinha Andrade, teve sua moto tomada por bandidos na região do Tamanduá.

É uma lástima! As pessoas não podem se quer sentar na calçada de casa à noite para conversar com os vizinhos que são atacadas pelos marginais que levam celular e o que tiver ao seu alcance, e vão embora e fica por isso mesmo. É revoltante isso.

E cadê a polícia? Esta é a pergunta que todos fazem, porém, a resposta é simples e conclusiva: o policiamento é precário, pois só tem um policial para fazer ronda e está difícil até registrar um BO na delegacia porque falta pessoal para proceder o atendimento.

O que fazer então? Cobrar dos representantes do governo do estado no município para que eles façam alguma coisa, Que eles cobrem  do secretário de segurança pública do estado do Piauí, Capitão Fábio Abreu para que ele dê um jeito nessa situação caótica em que se encontra a segurança pública do nosso município.