Todos os posts de Assis Dutra

Seriedade e respeito naquilo que faz

Miguel Alves, será que o problema é falta de dinheiro?

Nos últimos dias as denúncias de atrasos na prefeitura de Miguel Alves repercutem fortemente nas redes. O prefeito Oliveira Junior tem recebido muitas críticas nos últimos meses, não só dos vereadores que fazem oposição ao seu governo, mas também da população que depois de 10 meses de administração não vê nada feito pelo atual prefeito, a não ser atraso.

Para sabermos de fato o que está acontecendo na atual gestão, se o problema é dinheiro pouco ou falta de planejamento e de austeridades nos gastos públicos, consultamos o SISBB – Sistema de Informação Banco do Brasil, às 12:04:09, (horário de Brasília) mostra que em 10 meses e 18 dias, a contar de 01 de janeiro a 18/11, a prefeitura de Miguel Alves recebeu,  já deduzido os débitos, o valor líquido de R$ 42.062.176,85 (quarenta e dois milhões, sessenta e dois mil, cento e setenta e seis reais e oitenta e cinco centavos). Vale salientar que este montante já inclui os valores creditados na conta da prefeitura do dia 10 a 17 deste mês.

Pois bem, estamos fazendo a nossa parte que é informar com responsabilidade, cabe agora cada cidadão miguel-alvense fazer a sua crítica e externar a sua opinião. Se realmente o dinheiro recebido nestes 10 meses e 18 dias é pouco, ao ponto de a prefeitura atrasar salários e  outras obrigações a pagar que até agora não foram honradas pelo atual prefeito.

Fica então a questão: será que o problema é a falta de dinheiro?

 

 

Anúncios

Piauí ficará sem representantes no Pan-Americano em Lima no Peru

 Os atletas que formam convocados pela confederação de karater -Dô tradicional brasileira  (CKTB), para compor a seleção brasileira de karater-Dô perderão  a vaga por falta de apoio, pois não conseguiram recursos necessários para a compra das passagens, sendo assim além de perder a vaga, perdem também o dinheiro das taxas de inscrição no valor de 400 dólares, além dos uniformes que já foram pagos. Os atletas trabalharam muito, vendendo rifas, bingos, sindica, castanhas de caju. A população ajudou como pôde. 

A prefeitura de Miguel Alves alega que não tem recursos para da uma ajuda de custo de 6.000 (seis mil reais ) que seria para ajudar nas passagens aéreas.  Os atletas são trabalhadores e filhos de trabalhadores rurais.

Como sempre no país que o dinheiro é facilmente encontrado em malas, cuecas, meias e quartos apartamentos, mas 6 mil reais fica inviável para cuidar dos seus cidadãos.

Os projetos sociais que cuidam das crianças e adolescentes sempre são deixados de lado, todos desejam um bom  futuro, mas não cuidam do presente para garantir esse futuro. Miguel Alves já conquistou campeonatos estaduais, regionais, brasileiro e copas internacionais de karatê e sempre representou muito bem o município de Miguel Alves e o estado do Piauí.

Os atletas de karatê foram convocado para compor a seleção brasileira de karatê -Dô. No entanto, sem ajuda do poder público, não temos  como viajar. É uma pena que vereadores, deputados, prefeito e governo não vejam a grandiosidade dessas conquistas. Agradecemos a todos que contribuíram no intuito de ajudar nosso projeto. Matéria do Blog Miguel Alves Ponto de Cultura, desta sexta-feira, 17/11/17. 

OPINIÃO DO BLOG DO ASSIS:

A repercussão nas redes sociais. O banner abaixo expressa a indignação dos miguel-alvenses.

Nas rede sociais, muitos miguel-alvenses estão postando comentários indignados com a situação, pois entendem que o esporte é uma prioridade social que jamais deveria ser ignorada pelos governantes. Infelizmente eles não vêem assim. Elegem outras prioridades, certamente aquelas que rendem mais pra eles. É triste isso, mas é a realidade que nos cerca.  Imagino que se fosse pra contratar bandas famosas e caras não faltava dinheiro de jeito nenhum. Tanto a prefeitura como o governo do estado davam um jeito e bancavam tudo. Mas como é pro esporte, o dinheiro não dá. Isto é o que se pode chamar de uma “FORTE LÁSTIMA”, como diz a vereadora.

Descaso com a educação de Miguel Alves

Na Unidade Escolar Dirceu Arcoverde, escola da prefeitura municipal de Miguel Alves, um problema na instalação elétrica está causando o maior sufoco para alunos e professores. É um problema que se arrasta desde a gestão passada e que até agora, com 10 meses e 15 dias da nova gestão, o problema continua.

A instalação elétrica da escola precisa ser trocada, mas o secretário de educação do município alega não  ter dinheiro para fazer uma nova instalação elétrica.  Será que é mesmo falta de dinheiro ou será pura falta de vontade política e de compromisso com a educação?

Nesta semana fui informado por um professor que o problema ainda não foi resolvido. “Estamos pra morrer nas salas de aula pois não funciona nem ventilador. Tem climatizadores mas não funcionam por causa do problema da energia elétrica”, informou o professor que não quis se identificar.

Minha opinião: Além desse problema da instalação elétrica do Dirceu Arcoverde, tem escolas da zona rural que ficam 15, 25 dias sem merenda escolar, fato que obriga os professores a despacharem os alunos na metade do turno; tem alunos que passam dias sem ir à aula porque falta o ônibus escolar que não foi pago pela prefeitura.

Diante de tudo isso, está na hora dos pais de alunos denunciarem ao Ministério Público, porque é a educação dos seus filhos que está sendo prejudicada. Está na hora também dos professores, através do sindicato, denunciarem ao Ministério Público as precárias condições de trabalho nas escolas, como é caso da escola Dirceu Arcoverde.

Por fim, não adianta os vereadores ficarem transferindo culpas ou tentando achar um culpado. A culpa é de quem está no comando de uma administração que  pelo andar da carruagem parece estar “sem êra nem bêra”, como dizia dona Rosa Vieira lá de Santa Júlia.

Miguel Alves é selecionado em programa do governo federal

O município de Miguel Alves foi selecionado no Programa de Melhorias Sanitárias Domiciliares (MSD). O resultado da seleção feita pela Fundação Nacional de Saúde – FUNASA foi divulgado na última semana.

A FUNASA divulgou portaria no último dia 10 deste mês determinando que o prazo para que o município selecionados sejam cadastrados no SINCOVI. São sete dias úteis a contar da data da publicação da portaria. Portanto, o município terá até o dia 17/11 para realizar o processo e não perda essa oportunidade, alertou o superintendente estadual da FUNASA, Gilberto Pereira.

Os documentos técnicos exigidos atendem ao protocolo de transparência disposto pela União na concessão de recursos públicos.

Esperamos que a prefeitura cumpra com o prazo estabelecido pela FUNASA para que o município seja beneficiado pelo programa que que é de grande importância, pois tem como objetivo atender as necessidades básicas da população no que se refere a melhorias sanitárias domiciliares.

 

FONTE:GP1

 

 

Vereadores de Miguel Alves criticam trabalho do secretário de educação do município

O secretário municipal de educação de Miguel Alves, professor Ely Sandro, está vivendo um inferno astral. Não bastasse os problemas que surgem a cada dia, prejudicando a educação do município, o secretário virou o alvo preferido das críticas dos vereadores. Foi o que aconteceu na seção ordinária da câmara, sexta-feira, dia 10.

Pelo visto, parece que os vereadores da oposição e  da situação se juntaram e ensaiaram o discurso contra o secretário. Todos os vereadores que usaram a tribuna na sexta-feira, Teresa Moreira, Adauto Nascimento, Cleiciane Gomes, Vicente do Desígnio, Manoel Vaz e Chiquim Gastão foram duros nas críticas contra o secretário, chegando  a chamá-lo de incompetente e de qualificá-lo como um péssimo secretário, tanto ele quanto a sub-secretária não respeitam ninguém,  acusaram.

A vereadora Cleiciane Gomes fez um resumo do seu discurso contra o secretário Ely Sandro, dizendo: “Refresquei a memória dele, que passou 4 anos usando uma máscara para enganar o povo e de forma mais direcionada os professores. Ele não tinha outro discurso a não ser dizer incansavelmente que a gestora era velhaca. Ele é o maior culpado desse caos na educação. Nos 4 cantos do município tem bolsista colocado por ele”. Acusou a vereadora.
ALÉM DO FATO:

Há quem entenda que o secretário de educação está sendo queimado pelo fogo amigo. E que a estratégia dos vereadores da situação tem como finalidade isentar o prefeito Oliveira Junior de qualquer culpa pelo fracasso da educação e jogar toda culpa nas costas do secretário, e com isso forçar a sua exoneração do cargo, que segundo um analista da política miguel-alvense, já tem um vereador da situação de olho na vaga de Ely Sandro.

Como dizia dona Rosa Vieira lá da Santa Júlia: “eita diaxo, é cobra ingolindo cobra.”