Todos os posts de Assis Dutra

Seriedade e respeito naquilo que faz

Após o show de Aviões, luz da prefeitura de Miguel Alves é cortada por falta de pagamento

A população miguel-alvense e visitantes de várias cidades do Piauí e Maranhão curtiram um mega evento organizado pela prefeitura de Miguel Alves na noite do dia 24 (quarta-feira) em comemoração aos 105 anos de emancipação  política do município.  Aviões e outras bandas deram um show de primeira grandeza, encantando o público presente. Neste particular a prefeitura está de parabéns, apesar da gastança desproporcional à realidade econômica e social do nosso município.

Depois da Festa, o corte:

No dia seguinte, quinta-feira (25) enquanto a cidade em silêncio se curava da ressaca, enquanto a tarde ia findando, a luz do prédio da prefeitura, do ginásio poliesportivo, do prédio onde funciona a coordenação do Bolsa Família e do Centro de Fisioterapia foi cortada. Motivo: falta de pagamento.

Estive lá:

Hoje, sexta-feira, 26, estive na prefeitura de Miguel Alves precisamente às oito e meia da manhã pra tratar de assuntos de meu interesse e estava tudo escuro. Os funcionário não confirmaram o corte, talvez seguindo orientações superiores. Por volta das 9: 30h vi os homens da empresa que presta serviço pra ELETROBRAS religando a luz do prédio da prefeitura e logo depois estive lá e tudo voltou à normalidade. No Centro de Fisioterapia não houve atendimento porque somente por volta do meio dia foi que religaram a luz.

Toda verdade deve  ser falada:

Existe uma frase que diz: primeiro as coisas primeiras. Se eu quero fazer uma festa na minha casa, preciso colocar as coisas em ordem para  que no dia seguinte eu não seja surpreendido com o alicate da ELETROBRAS ou da AGESPISA, para que de manhã não me falte o pó de café, para que a minha ressaca não seja um “trumento” (como dizia dona Rosa Vieira lá da Santa Júlia).

Alguns podem até dizer, mas a festa foi grande e isso é o que interessa. Não discordo da grandeza da festa e julgo até necessária, porém, é preciso lembrar que a vida de uma população e de uma cidade não se resume somente a festivais. O povo gosta de dançar e tem todo direito, mas a cidade está pálida, caxingando de tanto sofrimento vivido ao longo de duas ou mais décadas, por obra e graça dos mesmos de sempre. E deixá-la triste depois de farta alegria simplesmente por não pagar a taxa de luz de órgãos públicos essenciais, é uma lastima! Como se diz, A energia está no ar, nas asas de Aviões e apressadinha como o “fala pro papai”. E a conta ficou na conta do povo.

 

 

 

 

 

.

Homenagem aos 105 anos de Miguel Alves

O cantor Antonio Matos, astro da música miguel-alvense, compôs uma música em homenagem a Miguel Alves, pelos seus 105 anos de emancipação política, que se comemora nesta quarta-feira, dia 24 de maio. Clique no link e escute a bela homenagem de Antonio Matos:

Parabéns ao grande cantor Antonio Matos pela bela canção que expressa o sentimento de miguelalvensidade que move todos nós.

Parabéns Miguel Alves, terra amada. Que bom seria se melhor estivesse. Mas com a fé do seu augusto e destemido povo, Tu vencerás. Comemoremos com alegria os seus 105 anos vividos, 105 passos dados em direção ao futuro próspero, 105 razões para dizer com a intimidade que nos une: MIGUELAVES, EU TE AMO!

Rede de controle apura desvios em precatórios do FUNDEF no Piauí

A Rede de Controle de Gestão Pública no Piauí suspeita que esteja havendo desvios e outras irregularidades na aplicação de recursos dos precatórios do Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental (FUNDEF). A rede investiga indícios de que o dinheiro está sendo usado para outros pagamentos e até antecipado junto ao Banco do Brasil com deságio. Há ainda indícios de pagamentos de honorários em valores abusivos a escritórios advocatícios contratados por meio de inexigibilidade de licitação para execução de ações de cobrança das prefeituras contra a União.

Representantes dos órgãos que compõem a Rede de Controle da Gestão Pública no Piauí se reuniram na manhã desta sexta-feira (19) com o ministro Benjamin Zimler, do Tribunal de Contas da União (TCU), para discutir a apuração.  A reunião ocorreu na sede da Polícia Federal em Teresina, e contou com a participação de representantes do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), TCU, Polícia Federal, Controladoria-Geral da União (CGU) e Advocacia-Geral da União (AGU).

O ministro Benjamin Zimler veio a Teresina especialmente para acompanhar as ações que apuram denúncias de irregularidades na aplicação de recursos dos precatórios. Ele explicou que o TCU tem competência para fiscalizar a aplicação dos precatórios porque são recursos vinculados à União.

Fonte: cidadeverde.com – 20/05/2017

Miguel Alves – esquecido no baile

Esta é a sensação que eu tenho ao ver no site da secretaria de Educação do Estado – SEDUC-PI, uma relação com 60 municípios que foram contemplados com a UAPI- Universidade Aberta do Piauí e nela não constar Miguel Alves – Piauí – Brasil. Não sei quais são os critérios adotados pela SEDUC no processo de seleção dos municípios, se foi meramente técnico ou essencialmente político. O que sei é que Miguel Alves mais uma vez sobrou na curva do atraso. E esta sobra é o reflexo da inexpressiva representação política do município. O que me intriga é que o  prédio próprio para a universidade aberta  já foi construído e mesmo assim o município não foi contemplado.

Sem saudosismo, mas invocando o passado não muito distante, convém lembrar das pelejas políticas dos anos 80 entre Chico Noca e Dr. Ivan Torres, que tinham lá seus interesses, mas por outro lado faziam com que a voz do município ecoasse nos corredores do Karnmak, rendendo bons frutos para a população miguel-alvense. Convém lembrar, a título de exemplo, a implantação do ensino médio em Miguel Alves em 1988. Isso foi possível devido ao bom relacionamento pessoal e político que o Dr. Ivan Torres tinha com o então governador Alberto Silva. Uma grande conquista dos estudantes miguel-alvenses que não tinham condições financeiras para irem estudar em Teresina. E quantos estudantes hoje ainda vivem o mesmo dilema, de quererem fazer um curso superior e esbarrarem na falta de condições financeiras? São muitos.

Mas infelizmente Miguel Alves  hoje é um nobre esquecido no baile porque os seus representantes políticos não conseguem sequer uma viatura nova para a delegacia de polícia. E ainda tem a minúscula obra do rodoanel que está a anos parada, além de outras demandas que precisam ser atacadas.

No mês de aniversário de Miguel Alves a Universidade Aberta seria um extraordinário presente para uma cidade que tem vontade de crescer, mas vive enclausurada pela maldade e pela inoperância dos seus representantes políticos que só se valem do governo para pedir D.A.S. E assim o município segue seu destino, gemendo e sofrendo no vale do atraso. Todavia,  Aviões é o melhor presente, pois faz rir um povo  iludido.

Professor diz que SINDSERM de Miguel Alves vive uma inércia

Em artigo publicado nesta terça-feira, 09, no seu whatsapp, o professor Rui D’gran Alcântara diz claramente que hoje o Sindicato dos Servidores Municipais de Miguel Alves vive uma inércia/apagamento e lembra que é momento dos guardas-chuvas pretos se amontoarem novamente pelas ruas da cidade, como aconteceu em anos anteriores. Veja o artigo na íntegra:

“Alguém me explica o porquê da inércia, senão apagamento do Sindicato diante da omissão de posicionamento do atual prefeito por ato oficial acerca do possível rateio do passivo do FUNDEF? Considerando que há uma chapa para eleições sindicais futuras, onde está essa chapa que, até como estratégia e/ou campanha, não suscita esse questionamento a fim de provocar nos sindicalizados a intenção de voto, confiança e prestar informações? Alguns podem me dizer: “Não podemos fazer nada porque o prefeito não é obrigado a ratear”. Tal desculpa não pode prosperar. O rateio do passivo do antigo FUNDEF está adstrito ao cumprimento de exigências impostas pelo TCE/PI, dentre as quais está aquela do pagamento de pendências salariais. Ora, como não se pode fazer nada, se hoje acumulamos inúmeras pendências salariais? Nada mais justificável que um movimento ser deflagrado antes das festividades milionárias a serem realizadas em alusão ao aniversário de Miguel Alves. Se há dinheiro para o “Pão e Circo”, por que não haveria para pagar dezembro de 2012, férias de professores e demais servidores, retroativo de piso e enquadramento financeiro que pelo PCCS dos professores (Lei n° 808/2016, art. 40, caput) já deveria ter ocorrido, pelo menos, em fevereiro? Em anos anteriores, há muito tempo, guarda-chuvas pretos se amontoavam pelas ruas. Acredito que todos ainda possuem esses guarda-chuvas. É momento de abrí-los e sairmos às ruas, logo, o tempo parece que vai ficar ruim. E nesse tempo, sobrará apenas o circo armado em praça pública e nada de pão.” (Profº Rui D’gran)

Em tempo:

A diretoria do SINDSERM de Miguel Alves disse o seguinte: “a posição do sindicato é mesma que sempre mantivemos nesses 15 anos.”Pontuou a professora Francisca Mendes, diretora do SINDSERM, ao ser questionada sobre aposição do sindicato.